HORA DO EVANGELHO NO LAR – Capítulo 27 – PEDI E OBTEREIS EFICÁCIA DA PRECE – ITENS 5 A 8 – 24/4/2017

HORA DO EVANGELHO NO LAR – Cap. 26 – PRECES PAGAS – ITENS 3 E 4 – 17/4/2017
17/04/2017
HORA DO EVANGELHO NO LAR – Capítulo 27 – Itens 13 a 15 – Ação da prece. Transmissão do pensamento – 01/5/2017
01/05/2017

HORA DO EVANGELHO NO LAR – Capítulo 27 – PEDI E OBTEREIS EFICÁCIA DA PRECE – ITENS 5 A 8 – 24/4/2017

Até agora, nada pedistes em meu nome; pedi, e recebereis, para que o vosso gozo se cumpra.” — Jesus. (João, 16:24)

 

 

PRECE

Queridos irmãos, vamos orar:

Jesus amigo, mais uma vez, aqui reunidos em Teu nome, rogamos ao Teu coração generoso que nos ampare na realização da tarefa de hoje. Ampare a nós todos e envolva-nos em Tuas Vibrações amorosas, para que assim possamos ser inspirados por Teus mensageiros e assimilarmos as reflexões de hoje.
Que  ao  término de nossos estudos, possamos estar mais pacificados, mais esclarecidos, compreendendo melhor nossas dificuldades e a de nossos semelhantes, compreendendo melhor a vida, compreendendo nossas próprias fragilidades e assim, seguirmos confiantes através do caminho que veio nos mostrar.

Que em Teu nome Mestre Jesus, em nome da espiritualidade amiga que coordena esta tarefa, mas sobretudo em nome de Deus, iniciamos mais um Estudo do Evangelho.
Esteja conosco, Senhor, agora e sempre.

Que assim seja!.

 

MENSAGEM INICIAL

COMO PEDES?

 

Em muitos recantos, encontramos criaturas desencantadas da oração.

Não prometeu Jesus a resposta do Céu aos que pedissem no seu nome? Muitos corações permanecem desalentados porque a morte lhes roubou um ente amigo, porque desastres imprevistos lhes surgiram na estrada comum.

Entretanto, repitamos, o Mestre Divino ensinou que o homem deveria solicitar em seu nome.

Por isso mesmo, a alma crente, convicta da própria fragilidade, deveria interrogar a consciência sobre o conteúdo de suas rogativas ao Supremo Senhor, no mecanismo das manifestações espirituais.

Estará suplicando em nome do Cristo ou das vaidades do mundo? Reclamar, em virtude dos caprichos que obscurecem os caminhos do coração, é atirar ao Divino Sol a poeira das inquietações terrenas; mas pedir, em nome de Jesus, é aceitar-lhe a vontade sábia e amorosa, é entregar-se-lhe de coração para que nos seja concedido o necessário.

Somente nesse ato de compreensão perfeita do seu amor sublime encontraremos o gozo completo, a infinita alegria.

Observa a substância de tuas preces. Como pedes? Em nome do mundo ou em nome do Cristo? Os que se revelam desanimados com a oração confessam a infantilidade de suas rogativas.

 

Extraído do Livro Caminho, Verdade e Vida. Emmanuel/Francisco Cândido Xavier.

LEITURA DO EVANGELHO

Capítulo 27 – PEDI E OBTEREIS

EFICÁCIA DA PRECE – ITENS 5 A 8

5 – Por isso vos digo: todas as coisas que vós pedirdes orando, crede que as haveis de ter, e que assim vos sucederão. (Marcos, XI: 24)

6 – Há pessoas que contestam a eficácia da prece, entendendo que, por conhecer Deus as nossas necessidades, é desnecessário expô-las a Ele. Acrescentam ainda que, tudo se encadeando no universo através de leis eternas, nossos votos não podem modificar os desígnios de Deus.

Há leis naturais e imutáveis, sem dúvida, que Deus não pode anular segundo os caprichos de cada um. Mas daí a acreditar que todas as circunstâncias da vida estejam submetidas à fatalidade, a distância é grande. Se assim fosse, o homem seria apenas um instrumento passivo, sem livre arbítrio e sem iniciativa. Nessa hipótese, só lhe caberia curvar a fronte ante os golpes do destino; sem procurar evitá-los; não deveria esquivar-se dos perigos. Deus não lhe deu o entendimento e a inteligência para que não os utilizasse, a vontade para não querer, a atividade para cair na inação. O homem sendo livre de agir, num ou noutro sentido, seus atos têm, para ele mesmo e para os outros, consequências subordinadas às suas decisões. Em virtude da sua iniciativa, há portanto acontecimentos que escapam, forçosamente, à fatalidade, e que nem por isso destroem a harmonia das leis universais, da mesma maneira que o avanço ou atraso dos ponteiros de um relógio não destrói a lei do movimento, que regula o mecanismo do aparelho. Deus pode, pois, atender a certos pedidos sem derrogar a imutabilidade das leis que regem o conjunto, dependendo sempre o atendimento da sua vontade.

7 – Seria ilógico concluir-se, desta máxima: “Aquilo que pedirdes pela prece vos será dado”, que basta pedir para obter, e injusto acusar a Providência se ela não atender a todos os pedidos que lhe fazem, porque ela sabe melhor do que nós o que nos convém. Assim procede ao pai prudente, que recusa ao filho o que lhe seria prejudicial. O homem, geralmente, só vê o presente; mas, se o sofrimento é útil para a sua felicidade futura, Deus o deixará sofrer, como o cirurgião deixa o doente sofrer a operação que deve curá-lo.

O que Deus lhe concederá, se pedir com confiança, é a coragem, a paciência e a resignação. E o que ainda lhe concederá, são os meios de se livrar das dificuldades, com a ajuda das ideias que lhe serão sugeridas pelos Bons Espíritos, de maneira que lhe restará o mérito da ação. Deus assiste aos que se ajudam a si mesmos, segundo a máxima: “Ajuda-te e o céu te ajudará”, e não aos que tudo esperam do socorro alheio, sem usar as próprias faculdades. Mas, na maioria das vezes, preferimos ser socorridos por um milagre, sem nada fazermos. (Ver cap. XXV, nº 1 e segs.)

8 – Tomemos um exemplo. Um homem está perdido num deserto; sofre horrivelmente de sede; sente-se desfalecer e deixa-se cair ao chão. Ora, pedindo a ajuda de Deus, e espera, mas nenhum anjo vem lhe dar de beber. No entanto, um Bom Espírito lhe sugere o pensamento de levantar-se e seguir determinada direção. Então, por um impulso instintivo, reúne suas forças, levanta-se e avança ao acaso. Chegando a uma elevação do terreno, descobre ao longe um regato, e com isso retoma a coragem. Se tiver fé, exclamará: “Graças, meu Deus, pelo pensamento que me inspiraste e pela força que me deste”. Se não tiver fé, dirá: “Que boa ideia tive euQue sorte eu tive, de tomar o caminho da direita e não o da esquerda; o acaso, algumas vezes, nos ajuda de fato! Quanto me felicito pela minha coragem e por não me haver deixado abater!”.

Mas, perguntarão, por que o Bom Espírito não lhe disse claramente: “Siga este caminho, e no fim encontrarás o que necessitas”? Porque não se mostrou a ele, para guiá-lo e sustentá-lo no seu abatimento? Dessa maneira o teria convencido da intervenção da Providência. Primeiramente, para lhe ensinar que é necessário ajudar-se a si mesmo e usar as próprias forças. Depois, porque, pela incerteza, Deus põe à prova a confiança e a submissão à sua vontade. Esse homem estava na situação da criança que, ao cair, vendo alguém, põe-se a gritar e espera que a levantem; mas, se não vê ninguém, esforça-se e levanta-se sozinha.

Se o anjo que acompanhou a Tobias lhes houvesse dito: “Fui enviado por Deus para te guiar na viagem e te preservar de todo perigo”, Tobias não teria nenhum mérito. Foi por isso que o anjo só se deu a conhecer na volta.

 

REFLEXÕES: Embora as preces que fazemos não irão desviar-nos de nossos problemas e desilusões, elas são um bálsamo reconfortante para a nossa alma enfermiça, pois faz-nos penetrar em estados de suave sossego e gozos que somente aquele que ora é capaz de decifrar. Tem, assim, a prece o dom de dar-nos forças para suportarmos lutas e problemas, internos e externos, de colocar-nos em posição de vencermos obstáculos que, antes, pareciam irremovíveis. A prece é, sem dúvida, um dos meios pelos quais a cura de um mal pode ser alcançada. Mas é, também, um meio dos mais difíceis, haja vista a pequena capacidade mental que temos para orar. Isto porque a oração tem sido um mero ato mecânico, que se realiza apenas pelos lábios e não pelo coração. A prece é algo que depende enormemente do pensamento, sentimento e da vontade. Sem esses requisitos, a prece se transforma em algo sem maior valor. Pensemos nisto! Como pedes?

 

 

PRECE E VIBRAÇÕES –

 

“Coloca o teu recipiente de água cristalina à frente de tuas orações e espera e confia.” [Emmanuel / Chico Xavier]

 

 

Agradecendo a Jesus por mais este encontro de corações e com nosso ambiente tranquilo vamos rogando Senhor, para que Tuas vibrações amorosas nos envolvam sempre, renovando nossas energias e reequilibrando nossa saúde física, espiritual e mental.

E assim, envoltos no Teu amor, vibramos pela Paz Mundial e harmonia entre todos os povos. Que nosso Brasil e seus dirigentes sejam abençoados e esclarecidos. Que Tuas Luzes inundem a todas as Nações para que haja sempre compreensão e amor.

Vibramos pelas Casas Espíritas, seus dirigentes, por seus os trabalhadores e por seus assistidos.

Mestre Amado, neste momento pedimos que estenda suas mãos misericordiosas e derrame suas bênçãos sobre aqueles que se encontram em sofrimento, sejam eles encarnados ou desencarnados, que cada um possa receber o bálsamo necessário para suas dores.

Vibramos Senhor, pelas as crianças, os jovens e os idosos.

Vibramos pelos enfermos do corpo e da alma.

Vibramos por nossos Lares, pedindo a Ti Mestre Jesus que nos inspire a vermos em tudo somente o bem em benefício da nossa evolução espiritual e a de nossos queridos.

Que Vossa suave e doce influência penetre em nossas almas e nos faça enxergar a estrada do bem, que nossos olhos se fechem para todas as maldades e para todos os comentários e julgamentos menos felizes.

Que possamos compreender que somos todos irmãos e que o amor deve fazer parte de nossos dias, em nossos locais de trabalho, junto aos amigos, em nosso lar, em nossa comunidade.

E assim Mestre Jesus, abençoa-nos a todos, agora e sempre, fluidifica nossas águas e, seja sempre nossa companhia, para que tenhamos sempre bom animo, alegria de viver e para que a Tua Paz esteja sempre conosco.

Que assim seja.

 

Feliz e abençoada semana a todos!

Deixe uma resposta