HORA DO EVANGELHO NO LAR – CAP. II – ITENS 5, 6 E 7 – O PONTO DE VISTA – 12/9/2016

HORA DO EVANGELHO NO LAR – Oração Dominical – item 3 – V a VII – 3ª PARTE CONCLUSÃO – 05_9_2016
05/09/2016
HORA DO EVANGELHO NO LAR – CAP. 3 – ITENS 1 E 2 Diferentes Estados da Alma na Erraticidade – 19/9/2016
19/09/2016

HORA DO EVANGELHO NO LAR – CAP. II – ITENS 5, 6 E 7 – O PONTO DE VISTA – 12/9/2016

Hora do Evangelho 120916_1 O meu Reino não é deste mundo…” (João, cap. 28:33)

PRECE

Que Jesus nos abençoe neste momento em que nos reunimos para o Estudo do Teu Evangelho e assim, nos colocamos diante de Ti Senhor em oração, agradecendo pela oportunidade de aprendizado que nos concede, pelos ensinamentos que nos capacitam para vencermos os obstáculos de nossos dias, por esse roteiro de amor traçado especialmente para nossa evolução moral e espiritual.

Mestre Jesus auxilia-nos a conquistamos sempre a tranquilidade e a harmonia para nossas vidas. Sabemos Senhor que nunca nos deixa sozinhos, que sempre nos ampara, então Te pedimos, capacita-nos com a sabedoria necessária para tomarmos decisões assertivas em nossas vidas, fortaleça-nos na fé, renove nossa esperança e nos ensine a caminhar sempre na Tua estrada de Amor e Luz.

E assim, em Teu Nome, mas sobretudo em nome de Deus, iniciamos nossos estudos. Permaneça conosco Senhor, e que assim seja.

(se preferir, faça sua prece do coração, fale com Jesus, ele compreenderá…tenha fé.)

 

MENSAGEM INICIAL

Hora do Evangelho 120916_2O SIGNIFICADO DA VIDA

Na grande mole humana, cada pessoa dá, à vida, um significado especial.

Esta objetiva a aquisição da cultura; essa busca o destaque social; aquela anela pela fortuna; estoutra demanda o patamar da glória…

Uma quer a projeção pessoal; outra anseia pela construção de uma família ditosa, cada qual empenhando-se mais afanosamente para atingir o que estabelece como condição de meta essencial.

Tal planificação, que varia de indivíduo, termina por estimular à luta, à competição insana, ao desespero.

Conseguido, porém, o que significou como ideal, ou reprograma o destino ou tomba em frustração, descobrindo-se irrealizado ou vítima de saturação do que haja conseguido sem plenificar-se interiormente.

A vida, entretanto, possui um significado especial, que reside no autodescobrimento do homem, que passa a valorizar o que é ou não importante no seu peregrinar evolutivo.

Este desafio se torna individual, unindo, sem embargo, no futuro, os seres numa única família, que entrelaça os ideais em sintonia perfeita com a energia que emana de Deus e é o élan vitalizador da vida.

Os meios da tua sobrevivência orgânica emulam-te para avançar ao encontro da finalidade da existência.

O azeite sustenta a chama, porém a finalidade desta não é crepitar, mas derramar luz e aquecer.

Enquanto não te empenhes, realmente, na busca da tua realidade espiritual, seguirás inseguro, instável, sem plena satisfação.

Todas as aquisições que exaltam o ego, terminam por entediar.

A maneira mais eficiente para o cometimento do real significado da vida, é a experiência do amor.

Amor que doa e liberta.

Amor que renuncia e faz feliz.

Amor que edifica, espalhando esperança e bênçãos.

Amor que sustenta vidas e favorece ideais de enobrecimento.

Amor que apazigua quem o sente e dulcifica aquele a quem se doa.

O amor é conquista muito pessoal que necessita do combustível da disciplina mental e da ternura do sentimento para expandir-se.

O significado essencial da vida repousa, pois, no esforço que cada criatura deve encetar para anular as paixões dissolventes, colocando nos seus espaços emocionais o divino hálito, o amor que se origina em Deus.

FRANCO, Divaldo Pereira. Momentos de Meditação. Pelo Espírito Joanna de Ângelis. LEAL. Capítulo 11.

 

LEITURA DO EVANGELHO
Capítulo II – MEU REINO NÃO É DESTE MUNDO

Hora do Evangelho 120916_3O PONTO DE VISTA

5 – A ideia clara e precisa que se faça da vida futura dá uma fé inabalável no porvir, e essa fé tem consequências enormes sobre a moralização dos homens, porque muda completamente o ponto de vista pelo qual eles encaram a vida terrena. Para aquele que se coloca, pelo pensamento, na vida espiritual, que é infinita, a vida corporal não é mais do que rápida passagem, uma breve permanência num país ingrato. As vicissitudes e as tribulações da vida são apenas incidentes que ele enfrenta com paciência, porque sabe que são de curta duração e devem ser seguidos de uma situação mais feliz. A morte nada tem de pavoroso, não é mais a porta do nada, mas a da libertação, que abre para o exilado a morada da felicidade e da paz. Sabendo que se encontra numa condição temporária e não definitiva, ele encara as dificuldades da vida com mais indiferença, do que resulta uma calma de espírito que lhe abranda as amarguras.

Pelas simples dúvida sobre a vida futura, o homem concentra todos os seus pensamentos na vida terrena. Incerto do porvir, dedica-se inteiramente ao presente. Não entrevendo bens mais preciosos que os da Terra, ele se porta como a criança que nada vê além dos seus brinquedos e tudo faz para os obter. A perda do menor dos seus bens causa-lhe pungente mágoa. Um desengano, uma esperança perdida, uma ambição insatisfeita, uma injustiça de que for vítima, o orgulho ou a vaidade ferida, são tantos outros tormentos, que fazem da sua vida uma angústia perpétua, pois que se entrega voluntariamente a uma verdadeira tortura de todos os instantes.

Sob o ponto de vista da vida terrena, em cujo centro se coloca, tudo se agiganta ao seu redor. O mal o atinge, como o bem que toca aos outros, tudo adquire aos seus olhos enorme importância. É como o homem que, dentro de uma cidade, vê tudo grande em seu redor: os cidadãos eminentes como os monumentos; mas que, subindo a uma montanha, tudo lhe parece pequeno.

Assim acontece com aquele que encara a vida terrena do ponto de vista da vida futura: a humanidade, como as estrelas no céu, se perdem na imensidade; ele então se apercebe de que grandes e pequenos se confundem como as formigas num monte de terra; que operários e poderosos são da mesa estatura; e ele lamenta essas criaturas efêmeras, que tanto se esfalfam para conquistar uma posição que os eleva tão pouco e por tão pouco tempo. É assim que importância atribuída aos bens terrenos está sempre na razão inversa da fé que se tem na vida futura.

6 – Se todos pensarem assim, dir-se-á, ninguém mais se ocupando das coisas da Terra, tudo perigará. Mas não, porque o homem procura instintivamente o seu bem estar, e mesmo tendo a certeza de que ficará por pouco tempo em algum lugar, ainda quererá estar o melhor ou o menos mal possível. Não há uma só pessoa que, sentindo um espinho sob a mão, não a retire para não ser picada. Ora, a procura do bem estar força o homem a melhorar todas as coisas, impulsionado como ele é pelo instinto do progresso e da conservação, que decorre das próprias leis da natureza. Ele trabalha, portanto, por necessidade, por gosto e por dever, e com isso cumpre os desígnios da Providência, que o colocou na Terra para esse fim. Só aquele que considera o futuro pode dar ao presente uma importância relativa, consolando-se facilmente de seus revezes, ao pensar no destino que os aguarda.

Deus não condena, portanto, os gozos terrenos, mas o abuso desses gozos, em prejuízo dos interesses da alma. É contra esse abuso que se previnem os que compreendem estas palavras de Jesus: O meu reino não é deste mundo.

Aquele que se identifica com a vida futura é semelhante a um homem rico, que perde uma pequena soma sem se perturbar; e aquele que concentra os seus pensamentos na vida terrestre é como o pobre que ao perder tudo o que possui, cai em desespero.

7 – O Espiritismo dá amplitude ao pensamento e abre-lhe novo horizonte. Em vez dessa visão estreita e mesquinha, que o concentra na vida presente, fazendo do instante que passa sobre a terra o único e frágil esteio do futuro eterno, ele nos mostra que esta vida é um simples elo do conjunto harmonioso e grandioso da obra do Criador, e revela a solidariedade que liga todas as existências de um mesmo ser, todos os seres de um mesmo mundo e os seres de todos os mundos. Oferece, assim, uma base e uma razão de ser à fraternidade universal, enquanto a doutrina da criação da alma, no momento do nascimento de cada corpo, faz que todos os seres sejam estranhos uns aos outros. Essa solidariedade das partes de um mesmo todo explica o que é inexplicável, quando apenas consideramos uma parte. Essa visão de conjuntos, os homens do tempo de Cristo não podiam compreender, e por isso o seu conhecimento foi reservado para mais tarde.

REFLEXÕES: Há duas maneiras de se analisar o viver na terra, dois pontos de vista iniciais: o material e o espiritual e, a escolha de um deles, depende a nossa paz interior. Todo aquele que vê somente a vida presente ou aquele que duvida da vida futura coloca seus pensamentos, seus sonhos, seus objetivos somente nas coisas terrenas, somente nos seus valores, nos seus prazeres. Então, ser feliz se constitui no ter, no conquistar coisas que o valorizem a seu olhos e, quase sempre, aos olhos dos outros. Trabalha então com toda sua inteligência, todo seu potencial intelectual na obtenção desses valores. Coloca enfim sua felicidade em coisas exteriores a ele, permanecendo sempre insatisfeito, porque sempre há algo que não possui ou não usufrui.

Partindo-se do ponto de vista da vida futura, além da morte, tudo ganha um sentido diferente. Aqui estamos para desenvolver nosso potencial intelectual e moral, e devemos usar os recursos que a Terra nos oferece para sermos o mais feliz possível, respeitando também o direito dos demais de, também, serem felizes. Isso não quer dizer que vamos desprezar as coisas materiais, valorizando apenas a espirituais. Não, não é isso. A certeza da vida futura nos leva a aproveitar melhor a vida presente, o momento presente, porque ela nos faz olhar dentro e ao redor de nós, com olhos de esperança, de solidariedade, de confiança em Deus, em Jesus, em nós e nos homens.

 

PRECE E VIBRAÇÕES –

Hora do Evangelho 120916_4“Coloca o teu recipiente de água cristalina à frente de tuas orações e espera e confia.” [Emmanuel / Chico Xavier]

Com nossos pensamentos e sentimentos harmonizados vamos nos elevando até Nosso Pai pedindo que Ele possa amparar nosso propósito de servir, que possamos sempre, em Teu Nome auxiliarmos e sermos auxiliados; compreendermos mais e amarmos mais sempre.

Agradecemos a Jesus por todos os ensinamentos pedindo ainda que nos abençoe sempre, que ampare e fortaleça a todos os dirigentes espíritas, a nossa Casa Espírita, seus colaboradores e atendidos e, a todos aqueles que levam a Tua palavra, os Teus ensinamentos a todos os cantos.

Senhor, Te pedimos pela Paz Mundial pela harmonia entre os povos, pelo nosso Brasil e nossos governantes.

Oramos Senhor com carinho e amor por todos aqueles que que estão passando por sofrimentos, sejam eles, encarnados e desencarnados. Oramos Senhor, especialmente e amorosamente por nossos irmãos suicidas, que sejam acolhidos e esclarecidos.

Oramos por nossas crianças, nossos jovens, para que tenham sempre proteção.

Oramos pelos idosos, criaturas que merecem nossa atenção e respeito, que todos possam receber o conforto de que precisam.

Senhor, que Tua proteção divina se estenda a todos os lares, ao nosso também, que neles possa reinar sempre o amor e o respeito.
Quanto a nós, Senhor, pedimos que nos auxilie a desenvolvermos em nós as virtudes que ainda não temos, para sermos mais serenos, compreensivos e fraternos uns com os outros. Rogamos, Mestre Jesus, a Tua permissão para que os Bons Espíritos, encarregados da fluidificação das águas, depositem em nossas águas as energias necessárias ao nosso equilíbrio físico, espiritual e mental. Agradecemos Mestre por todas as bênçãos recebidas, pelos Teus ensinamentos e, por estes momentos de reflexão, preces e vibrações.

Que Tua Paz nos envolva hoje e sempre.

Que assim seja.

Graças a Deus! Graças a Jesus.

A todos nosso carinho e nossa gratidão.

Desejamos que tenham uma semana iluminada, repleta de bênçãos e alegrias.

Paz e Luz.

 

 

Deixe uma resposta