HORA DO EVANGELHO NO LAR – CAP. 18 – MUITOS OS CHAMADOS E POUCOS OS ESCOLHIDOS – Instr. Esp.: II – Reconhece-se o Cristão pelas suas obras – item 16 – 25/12/2017

HORA DO EVANGELHO NO LAR – ESTUDANDO O EVANGELHO – MARTINS PERALVA – Capítulo 4 – O FILHO DO HOMEM – 18/12/2017
18/12/2017
HORA DO EVANGELHO NO LAR – JESUS EM BETÂNIA – CAP. 55/56 – ESTUDANDO O EVANGELHO – MARTINS PERALVA – 01/01/2018
01/01/2018

HORA DO EVANGELHO NO LAR – CAP. 18 – MUITOS OS CHAMADOS E POUCOS OS ESCOLHIDOS – Instr. Esp.: II – Reconhece-se o Cristão pelas suas obras – item 16 – 25/12/2017

“Glória a Deus nas maiores alturas, e paz na terra entre os homens a quem ele quer bem.” (Lucas 2:14)

 

PRECE

Caros irmãos, que neste momento Jesus nos traga- sua paz e seu amor a nos envolver e amparar sempre.

Deus, Pai Bondoso, mais uma vez chega o Natal e ao colocarmos nossos corações em preces, Te agradecemos humildemente pelo aniversário de nosso Irmão Maior, nosso Modelo e Guia – Jesus.

Te rogamos Pai de Infinita Bondade e Misericórdia, que estendas Tuas Mãos sobre todo nosso planeta, de forma a tocar os corações de toda a humanidade, de maneira tão profunda, que nossa sensibilidade se aflore para o verdadeiro sentido do Natal, que é o de amarmos uns aos outros, como Jesus nos ama e nos ensinou a amar.

Rogamos Pai de Bondade e Amor, que as Luzes do Natal, o Cristo Jesus, esteja presente em todos os corações e durante todos os dias de nossas vidas, nos conduzindo ao Amor Fraternal.

E assim, Pai Amado, em Teu Nome e de nosso Mestre Jesus, com Teu amparo e proteção, iniciamos nossos estudos de hoje.

Que assim seja!

 

MENSAGEM INICIAL

AS VARAS DA VIDEIRA

“Eu sou a videira, vós as varas.” — Jesus. (JOÃO, 15:5.)

 

Jesus é o bem e o amor do princípio.

Todas as noções generosas da Humanidade nasceram de sua divina influenciação.

Com justiça, asseverou aos discípulos, nesta passagem do Evangelho de João, que seu espírito sublime representa a árvore da vida e seus seguidores sinceros as frondes promissoras, acrescentando que, fora do tronco, os galhos se secariam, caminhando para o fogo da purificação.

Sem o Cristo, sem a essência de sua grandeza, todas as obras humanas estão destinadas a perecer.

A ciência será frágil e pobre sem os valores da consciência, as escolas religiosas estarão condenadas, tão logo se afastem da verdade e do bem.

Infinita é a misericórdia de Jesus nos movimentos da vida planetária. No centro de toda expressão nobre da existência pulsa seu coração amoroso, repleto da seiva do perdão e da bondade.

Os homens são varas verdes da árvore gloriosa.

Quando traem seus deveres, secam-se porque se afastam da seiva, rolam ao chão dos desenganos, para que se purifiquem no fogo dos sofrimentos reparadores, a fim de serem novamente tomados por Jesus, à conta de sua misericórdia, para a renovação.

É razoável, portanto, positivemos nossa fidelidade ao Divino Mestre, refletindo no elevado número de vezes em que nos ressecamos, no passado, apesar do imenso amor que nos sustenta em toda a vida.

 

Caminho, Verdade e Vida – Francisco Cândido Xavier, ditado Pelo Espírito Emmanuel

LEITURA DO EVANGELHO

CAPÍTULO 18 – MUITOS OS CHAMADOS E POUCOS OS ESCOLHIDOS

Instruções dos Espíritos: II – Reconhece-se o Cristão pelas suas obras – item 16

SIMEÃO

Bordeaux,1863

16 – “Nem todos os que me dizem Senhor, Senhor, entrarão no Reino dos Céus, mas somente o que faz a vontade de meu Pai, que está nos Céus”. Escutai estas palavras do mestre, todos vós que repelis a doutrina espírita como obra do demônio! Abri os vossos ouvidos, pois chegou o momento de ouvir! Será suficiente trazer a libré do Senhor, para ser um fiel servidor? Será bastante dizer:“ Sou cristão ”, para seguir o Cristo? Procurai os verdadeiros cristãos e os reconhecereis pelas suas obras. “Uma árvore boa não pode dar maus frutos, nem uma árvore má dar bons frutos”. – “Toda árvore que não der bons frutos será cortada e lançada no fogo”. – Eis as palavras do Mestre. Discípulos do Cristo, compreendei-as bem! Quais os frutos que a árvore do Cristianismo deve dar, árvore possante, cujos ramos frondosos cobrem com a sua sombra uma parte do mundo, mas ainda não abrigaram a todos os que devem reunir-se em seu redor? Os frutos da árvore da vida são frutos de vida, de esperança e fé. O Cristianismo, como o vem fazendo desde muitos séculos, prega sempre essas divinas virtudes, procurando distribuir os seus frutos. Mas quão poucos os colhem! A árvore é sempre boa, mas os jardineiros são maus. Quiseram moldá-la segundo as suas idéias, modelá-la de acordo com as suas conveniências. Para isso a cortaram, diminuíram, mutilaram. Seus ramos estéreis já não produzem maus frutos, pois nada mais produzem. O viajor sedento que se acolhe à sua sombra, procurando o fruto de esperança, que lhe deve dar força e coragem, encontra apenas os ramos adustos, pressagiando mau tempo. É em vão que busca o fruto da vida na árvore da vida: as folhas tombam secas aos pés. A mãos do homem tanto as trabalharam, que acabaram por crestá-las!

Abri, pois, vossos ouvidos e vossos corações, meus bem amados! Cultivai esta árvore da vida, cujos frutos proporcionam a vida eterna. Aquele que a plantou vos convida a cuidá-la com amor, que ainda a vereis dar com abundância os seus frutos divinos. Deixai-a assim como o Cristo vo-la deu: não a mutileis. Sua sombra imensa quer estender-se por todo o universo; não lhe corte a ramagem. Seus frutos generosos caem em abundância, para alentar o viajor cansado, que deseja chegar ao seu destino. Não os amontoeis, para guardá-los e deixá-los apodrecer, sem servirem a ninguém. “São muitos os chamados e poucos os escolhidos”. É que há os açambarcadores do pão da vida, como os há do pão material. Não vos coloqueis entre eles; a árvore que dá bons frutos deve distribuí-los para todos. Ide, pois, procurar os necessitados; conduzi-os sob as ramagens da árvore e partilhai com eles o abrigo que ela vos oferece. “Não se colhem uvas dos espinheiros”. Meus irmãos, afastai-vos, pois, dos que vos chamam para apontar os tropeços do caminho, e segui os que vos conduzem à sombra da árvore da vida.

O divino Salvador, o justo por excelência, disse, e suas palavras não passarão: “Os que me dizem Senhor, Senhor, nem todos entrarão no Reino dos Céus, mas somente aqueles que fazem a vontade de meu Pai, que está nos Céus”. Que o Senhor das bênçãos vos abençoe, que o Deus da luz vos ilumine; que a árvore da vida vos faça com abundância a oferenda dos seus frutos! Credes e orai!

 

REFLEXÕES: Simeão, comenta as palavras de Jesus: “Nem todos os que me dizem Senhor, Senhor, entrarão no Reino dos Céus, mas somente o que faz a vontade de meu Pai, que está nos Céus.”  Simeão evidencia o critério de Jesus no reconhecimento do que é ser cristão: “Uma arvore boa não pode dar maus frutos, nem uma arvore má dar bons frutos. Toda árvore que não der bons frutos, será cortada e lançada ao fogo”, isto é, no fogo das consequências da sua improdutividade, da sua imperfeição.

Então, somos convidados a cultivarmos essa árvore, como Jesus a plantou. Somos convidados a cultivá-la e cuidá-la com amor, regando-a com os ensinamentos de Jesus, e dando-lhe do adubo de Seus exemplos, durante o Seu viver em um mundo material e imperfeito.

Jesus é o exemplo mais fiel do Amor. Ensinou-nos que o amor nos liberta de nossas fraquezas, que devemos amar a todos, ensinou-nos a perdoar, a sermos indulgentes, a praticarmos a caridade, entre tantas outras lições que nos deixou.

Jesus jamais constrangeu alguém a crer deste ou daquele modo. Tocava o íntimo do homem, procurando despertar o que ali havia de bom.

Nasceu em Belém e estamos às vésperas do Natal de Jesus, mas seu nascimento, como tudo o mais que com ele se relaciona, reveste-se de perpetuidade. O Natal do Mestre é um fato que se repete todos os dias: foi de ontem, é de hoje, será de amanhã.

Aqueles que ainda não sentiram em seu íntimo a influência do espírito do Cristo ignoram, em verdade, que ele nasceu. Só sabemos das coisas de Jesus por experiência própria.

Só após ele haver nascido em nossos corações é que vamos compreendê-lo, entendê-lo, em Seus ensinamentos e no que se diz a respeito à sua missão na terra.

Mas vamos refletir sinceramente: Que influência exerce em nós o nascimento de Jesus? Que relação existe entre o Natal de Jesus e a nossa vida no momento atual? Que veio Jesus fazer na Terra e que parte nos toca a sua vinda?

Essas questões vão determinar o grau de importância que o Natal tem em nossas vidas. Se o nascimento de Jesus ainda não é uma realidade em nós mesmos, se a vinda do Mestre não influi positivamente em nosso caráter, qual importância pode ter a celebração do Natal?

Se permanecemos alheios ao Natal de Belém, se o nascimento do Cristo, não tocou nossas almas, os nossos corações… então, tudo o que fizermos para comemorarmos esta data tão marcante será em vão, será um simples vazio em nossas vidas, uma mera socialização.

Mas se o nascimento do Cristo tocou nossa alma e se assim, nos esforçamos para vivenciarmos os Seus exemplos e ensinamentos, então o Natal de Jesus representa uma força viva atuando em nosso Espírito, Jesus então nasceu em nós e é para nós que é dirigida a mensagem angélica: “Glória a Deus nas maiores alturas, e paz na terra entre os homens a quem ele quer bem.” (Lucas 2:14)

 

PRECE E VIBRAÇÕES –

 

“Coloca o teu recipiente de água cristalina à frente de tuas orações e espera e confia.” [Emmanuel / Chico Xavier]

 

Senhor, nessa Noite Santa, depositamos em Tua Mangedoura todos os sonhos, todas as lagrimas e esperanças contidas em nossos corações.

Pedimos Mestre Amado, por aqueles que choram, por aqueles que estão na solidão, presos em suas mágoas e tristezas, passando por momentos de angustia e de dor, sem terem quem lhes enxugue as lágrimas.

Pedimos por aqueles que gemem, sem terem quem escute o seu clamor.

Suplicamos Senhor, por aqueles que Te buscam sem saberem ao certo onde Te encontrar.

Suplicamos por todos aqueles que gritam Paz quando nada mais podem gritar.

Pedimos Senhor, por todos aqueles que neste exato momento carecem de Teu Amor, conceda Senhor a todos eles o farol abençoado de Tua Luz para iluminar seus caminhos…
Entendemos Senhor, que não poderás ser o nosso Hospede permanente, mas, pelo menos nesta noite de Natal, que simbolicamente representa o Teu nascimento entre nós; fica conosco, para alicerçar nossa Fé, nossa Confiança. Auxilia-nos a aceitar o roteiro que o Teu amor infinito nos traça em benefício da paz e da felicidade de nós mesmos. Que o sacrifício seja para nós uma bênção, a luta uma escola de aperfeiçoamento sublime, o serviço a oportunidade salvadora, que os espinhos que encontramos na estrada permaneçam adornados de flores para os nossos corações e que as pedras e lágrimas que por vezes derramamos constituam esperanças renovadas para nossas almas esperançosas da Tua luz.

Por isso, Mestre da Verdade e do Bem, da Humildade e do Amor, permite que a Estrela Sublime do Teu Natal brilhe, ainda mais nesta noite em nossas almas e estenda-nos caridosas mãos para que nos livremos de velhas feridas, marchando ao Teu encontro esperançosos e felizes.

E assim, Mestre Amado, rogamos que neste instante todos os lares sejam abençoados e que nossas aguas sejam fluidificadas para que nelas sejam depositados os medicamentos necessários a cada um de nós.

E assim, com imensa gratidão em nossos corações, Te agradecemos Mestre a caridade divina da paz com que nos felicitas a alma, neste dia de abençoada luz, esperamos que o Teu amor viva em nós infinitamente e que a Tua misericórdia nos acompanhe em todos os dias de nossas vidas e que possamos ser reconhecidos por muito nos amarmos e por nossas mãos operosas na Tua Seara de Amor.

Em Teu Nome Mestre Jesus encerramos os estudos de hoje.

Sê conosco, hoje e sempre.

Que assim seja.

 

Feliz Natal a todos!!!

Paz e Luz.

Deixe uma resposta